A - Minhas Postagens

Choque de Gestão: Auditoria aponta superfaturamento em privatização de penitênciárias no governo Aécio/Anastasia (PSDB) O PSDB é a favor de privatização de presídios, universidades, estradas e hospitais. De tudo aquilo que dê para cobrar propina ou pedágio. Nos governos tucanos em Minas Gerais, não era diferente. Auditoria feita pela Controladoria Geral do Estado de Minas Gerais, órgão criado pelo governador Fernando Pimentel (PT), aponta um superfaturamento de R$ 42,5 milhões em contrato das gestões do tucano Antônio Anastasia e Aécio Neves com empresas que constroem e administram penitenciárias privadas em Ribeirão das Neves, na Grande Belo Horizonte. O complexo tem cinco prisões e a parceria foi assinada em 2009, no governo Aécio Neves, ao custo de cerca de R$ 2 bilhões. Um dos signatários do contrato inicial é Telmo Giolito Porto, da empresa Tejofran, réu no processo do trensalão tucano de São Paulo. À época, ele era diretor-presidente da GPA, consórcio de cinco empresas que venceu a concorrência pública, afirma reportagem do jornal Folha de S. Paulo http://ift.tt/1C3frNW

Anúncios

2 comentários sobre “Choque de Gestão: Auditoria aponta superfaturamento em privatização de penitênciárias no governo Aécio/Anastasia (PSDB) O PSDB é a favor de privatização de presídios, universidades, estradas e hospitais. De tudo aquilo que dê para cobrar propina ou pedágio. Nos governos tucanos em Minas Gerais, não era diferente. Auditoria feita pela Controladoria Geral do Estado de Minas Gerais, órgão criado pelo governador Fernando Pimentel (PT), aponta um superfaturamento de R$ 42,5 milhões em contrato das gestões do tucano Antônio Anastasia e Aécio Neves com empresas que constroem e administram penitenciárias privadas em Ribeirão das Neves, na Grande Belo Horizonte. O complexo tem cinco prisões e a parceria foi assinada em 2009, no governo Aécio Neves, ao custo de cerca de R$ 2 bilhões. Um dos signatários do contrato inicial é Telmo Giolito Porto, da empresa Tejofran, réu no processo do trensalão tucano de São Paulo. À época, ele era diretor-presidente da GPA, consórcio de cinco empresas que venceu a concorrência pública, afirma reportagem do jornal Folha de S. Paulo http://ift.tt/1C3frNW

Dê sua opinião:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s